Suzanne Langor


Imagem
Hermann Baumann, Tompodor
Valência: um lugar ensolarado, com palmeiras e praias sem fim; um lugar de cultura interessante e alimentos saborosos; um lugar que sempre terá um lugar especial em meu coração. O 36º Workshop IHS em Valência foi uma semana que nunca vou esquecer. o alto calibre de tocar, os muitos shows interessantes em instalações de última geração e as amizades que foram feitas, me deixaram contando os dias até o próximo workshop. No entorno de mais de 400 outros trompistas, muitas vezes me esquecia de me apresentar quando falava com alguém novo, porque tinha a sensação de que já conhecia todo mundo. Os músicos de trompa compartilham um elo comum que nos torna uma grande família.

Os shows, claro, são o destaque de qualquer workshop. Minha frase favorita a dizer depois de cada show era "se este fosse o único show que eu ouvi durante toda a semana, teria valido a pena a visita." Não vou listar e comentar todos os excelentes concertos, para isso seriam necessárias muitas páginas, mas algumas que permanecerão no topo da minha lista por muito tempo são: o concerto de abertura com Hermann Baumann: Me sinto muito privilegiado por ouvi o jogo do Grande Mestre; Frank Lloyd: sua facilidade e poder; Bruno Schneider: sua profundidade de expressão e personalidade magnética; Esa Tapani: sua musicalidade inegável; Miklos Nagy: seu incrível controle do instrumento; Allegrini: sua pureza de som; American Horn Quartet e sua maravilhosa presença de palco; e o Budapest Horn Quartet.

Também tive o privilégio de ter aulas com Joseph Ognibene e Bruno Schneider, onde aprendi muito. Eles têm sido um modelo de inspiração que me faz desejar poder me tornar um estudante em tempo integral novamente. Tocar no coro de trompas concentrado no último dia sob a batuta de Hermann Baumann foi outra inspiração. Grande história foi feita naquele dia.

Obrigado a Javier Bonet por nos permitir participar deste incrível evento musical, que foi uma experiência humana enriquecedora, gratificante e inesquecível. Bem, até a próxima vez, tenho muito o que me manter ocupado na sala de prática, muitas ótimas gravações para ouvir, fotos maravilhosas para ver, amigos queridos para corresponder e boas lembranças do 36º workshop em Valência.

Suzanne Langor ataca e ensina trompa em Edmonton, Alberta, Canadá.

Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário, incluindo o status de login. Ao utilizar o site, você está aceitando o uso de cookies.
Ok